29.8.06

Igual ao litro

2 Comments:

Anonymous António Canais said...

A questão tem a ver com o grau de incerteza. Todos os bons laboratórios de análises, sabem o quanto erram, devido aos instrumentos disponíveis, e todos eles (os bons) nos resultados que apresentam, indicam semore no final mais ou menos isto (+- x%), que corresponde ao seu grau de incertza naquela medição. Actualmente em muitos poucos casos é possivel afirmar que as medições que se fazem, sejam elas quais forem, não possuem margem de erro. Por outro lado os maus laboratórios fazem uma medição e afirmam " a pés juntos" que o resultado é aquele e mais nenhum. Ora todos nós sabenmos que não é assim, e, neste caso concreto, do nível de alcoolémia, em que possuir, mais 0,1, ou menos 0,1, se comete uma infração ou um crime, faz toda a diferença haver um margem de tolerância, pelo menos igual ao grau de incerteza que os instrumentos disponivéis nos garantem.

29 de agosto de 2006 às 14:17  
Blogger Carlos Medina Ribeiro said...

Eu sei bem que toda a medição tem associada um erro - e isso não está em causa no que escrevi.

O que se pretende salientar é esta parte:

Então e a DGV demorou 8-anos-oito a descobrir que devia aplicar a directiva da Organização Internacional de Metrologia Legal?
Então e as pessoas que, durante todos estes anos, foram multadas, detidas ou punidas com cassação de carta à conta de valores que, porventura, estarão errados?

29 de agosto de 2006 às 15:22  

Enviar um comentário

<< Home